Centro de Pesquisa em Encruzilhada do Sul é certificado como zona livre de epididimite ovina

0
571

Por: Sindicato Rural de Encruzilhada do Sul

O Centro de Pesquisa da Região da Serra do Sudeste, localizado em Encruzilhada do Sul, recebeu o certificado de zona livre de epididimite ovina para todo o seu rebanho experimental, composto por 168 animais, entre reprodutores, matrizes e produtos.

A certificação é conferida pelo Programa Estadual de Sanidade Ovina (Proeso), por meio de testes e exames laboratoriais realizados nos animais da propriedade avaliada. “O certificado é válido por dois anos e os animais podem transitar sem necessidade de fazer exame. Qualquer propriedade do estado pode aderir à certificação”, complementa a coordenadora do Proeso, Nathalia Bidone.

Vinculado à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), o Centro de Pesquisa atualmente passa por um processo de reestruturação, focando em pesquisas de pequenos ruminantes – ovinos e caprinos – com estudos em sistemas de produção, seleção e melhoramento genético, reprodução, sanidade, nutrição, ambiência, treinamento e capacitação.

“Estamos elaborando projetos em Sistemas Produtivos Integrados, associando a ovinocultura à lavoura, floresta e pomares frutíferos. São demandas do setor produtivo a serem desenvolvidas no Centro de Pesquisa, em parceria com instituições de pesquisa e ensino, escolas agropecuárias e organizações da sociedade civil”, detalha o pesquisador Elder Lopes.

Publicidade

Epididimite Ovina

A epididimite é uma doença venérea crônica dos ovinos, causada pela bactéria Brucella ovis e caracterizada pelo aumento de volume e consistência do epidídimo (tubo que armazena e transporta o esperma) e atrofia dos testículos. “A epididimite ocasiona problemas como infertilidade, abortos e baixas taxas de prenhez. Por isso o controle da doença, ao inserir carneiros testados no rebanho, é muito importante”, explica Nathalia.

Conforme a coordenadora do Proeso, a procura pela certificação das propriedades como livre de epididimite ovina vem crescendo no Rio Grande do Sul. Dúvidas sobre a certificação podem ser enviadas ao e-mail do Programa: [email protected].

Texto: Elaine Pinto
Fotos: Elder Lopes

Fonte: Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural