CISMAS l Batendo na mesma tecla

0
431

        Não me importo em ser repetitivo.

        Muitos podem estar até “enjoados” do mesmo tema, mas eu não e, enquanto “houver tempo, espaço e algum modo de dizer”, eu falo.

        Estamos nos referindo, novamente, sobre a RST-471.

        Pois ainda no dia 27/04/2022, uma quarta-feira, à noite, eu viajava pelo leito desta estrada com chuva e, mais uma vez constatei do perigo que ela traduz.

        Sem sinalização, buracos na pista, alagamento em trechos já por demais conhecidos e, até então, nenhuma providência foi tomada e que, se o motorista não está atento ou é neófito em direção, certamente vai aquaplanar e ocasionar um acidente…que poderá ser grave, até fatal.

        O mato adentrando à pista, que encurta a visão e se torna um empecilho até para estacionar no pífio, perigoso e mal feito acostamento, além do intenso movimento, principalmente de veículos pesados.

        Mas, não refizeram a pintura há pouco tempo atrás?

        Sim, refizeram, mas a tinta que foi usada é de quinta categoria, pois que não passou nem 15 dias e ela ficou totalmente apagada, como se nada tivesse sido feito.

        Enfim, de tempos em tempos as ditas autoridades competentes emitem um comunicado de que estão tomando providências, todavia, estas providências são meras palavras soltas ao vento.

        Nada é feito, nada é realizado e, está aí a RST-471, de Pantano Grande – RS até o entroncamento da BR-392, no município de Canguçu – RS, onde vocês poderão trafegar e constatar o total abandono.

        E o pior: os responsáveis que dizem que fazem e acontecem, adotam a mesma retórica desde sempre, ou seja, colocam as máquinas na pista por um ou dois dias, tiram fotos, garganteiam na mídia e, logo no outro dia, volta tudo ao que era antes.

        Estão ainda naquela máxima de que: “é só fazer um pequeno movimento de tapa-buracos e, decerto os usuários já esquecem…”

        Foi assim, todas às vezes.

        Não deve ser diferente disso lá nos órgãos (in)competentes:

– Fulano, lá em Encruzilhada do Sul-RS, estão berrando das más condições da RST-471.

– Vai lá, tapa uns buracos que logo, logo eles se acalmam…e nos esquecem.

        Em junho ou julho de 2021, em “live” com o secretário responsável, vimos e ouvimos as mais “estrondosas” promessas para esta estrada e, em que acabou?

        Em nada, absolutamente nada, como sempre, pois não venham me dizer que o que fizeram de Canguçu-RS para cá foi um “grande trabalho”.

        Só temos a lamentar, e muito, principalmente pelas vidas já perdidas nesta estrada.

Vocês querem ver como vai cair aqui na nossa região uma “chuvarada” de políticos, candidatos nas próximas eleições, prometendo “mundos e fundos” para resolver o problema da RST-471?

        Esperem para ver…