A carta que recebi

0
432

 

         Dia desses me apareceu uma carta.

         Simplesmente surgiu em meu caminho, cheia de boas intenções, que só depois eu tive a percepção de notar…não era só para mim, é para todos nós.

         Lá diz, que hoje somos navegantes, cientes de que tudo isso que está acontecendo, fez parte das nossas decisões reencarnatórias, ou seja, quando decidimos voltar à Terra, para dar continuidade ao nosso desenvolvimento espiritual, e sabíamos de que tudo isso iria acontecer.

         Portanto, essa pandemia faz parte da nossa escolha, e, esta escolha nos coloca em um momento único de aprendizado, desde que tenhamos o discernimento de compreender as lições.

         Sim, nada é por acaso.

         Segundo o autor desta carta, espírito Alex Bardoni e, pela ótica espiritual, nosso mundo faz parte de um grande projeto, o Projeto Nova Luz, idealizado e posto em prática para que mudanças drásticas aconteçam por aqui.

         Por paradoxal que possa parecer, tudo isto é um grande presente que nos foi dado, sendo um momento de mudanças e, para melhor, se soubermos absorver o aprendizado.

         Existem muitos irmãos desencarnados envolvidos nesta árdua tarefa.

         Chamam eles, este momento, de mudança planetária.

         “Caso o planeta Terra não aprenda a viver o agora, será impossível evoluirmos e criarmos um vínculo mais amplo com a espiritualidade”.

         Faz tempo que nossas condutas são antagônicas, sendo que nada mais sentimos, nada mais saboreamos, nada mais vivemos, nada mais aprendemos, pois o foco está sempre no futuro.

         Estamos sempre pensando no próximo fim-de -semana, na próxima festa, no próximo feriado e, sem nos darmos conta, estamos subutilizando a nossa existência.

         Eis porque a mudança sugerida, a mudança planetária, pensada e executada em plano superior, nos é dado por merecimento.

         Esta pandemia veio para frear a humanidade que se encontrava sem um movimento, sem um propósito, sem um destino.

         Os objetivos são simples e fáceis de serem entendidos, mesmo que estejam nas entrelinhas deste acontecimento, tal qual o vírus que nos ataca, pois não diferencia pobre ou rico, negro ou branco, não enxerga religião e nem nacionalidade, esquerda ou direita.

         Nos faz pensar no próximo que está desempregado e passa fome, nos faz ficar em casa e resolver nossos conflitos familiares, aprender a sermos compreensíveis e, muito mais…como nos situarmos no agora, esquecendo um pouco das realizações futuras, já que o momento exige que nossas vidas sejam vividas um dia após o outro.

         Fizemos parte de uma constelação e nunca o brilho de apenas uma estrela, superará o todo.

         Como sabemos, o tempo é escasso e temos um período finito para evoluirmos.

         Eis aí a lição!

         Aos irmãos que estão desencarnando, fica o consolo de que estão sendo muito bem recebidos no plano espiritual, pois suas passagens são fortemente enobrecidas por servirem de exemplo para os demais habitantes deste planeta.

         Caso não continuarmos evoluindo em nossas atitudes de solidariedade, de amor ao próximo, de fraternidade, e compreensão entre nós, outra crise pandêmica já está preparada, mais forte e mais consistente, para que assim, então, de vez aprendamos a lição.

         Isso é o que não queremos.

         Nota-se sensivelmente que a empáfia humana está sendo diluída, e isso é substancialmente importante.

         Ah, sim, por que a escolha pela pandemia e não uma guerra?

         Pois não queriam que fosse gerado ódio, raiva, ressentimentos entre os irmãos encarnados e sobreviventes, bem como era preciso que fosse mundial e não local, para que tivéssemos a compreensão de não ter havido escolha de etnia, nacionalidade ou religião e, sim um todo.

         Sinto-me grato por trazer até vocês, a mensagem que me foi ofertada através desta carta, na qual senti não ser para ninguém, mas ser para todos nós.

         Alegro-me por estar fazendo a minha parte.

         O recado está dado.