Abril Azul: mês de Conscientização sobre o Autismo

0
351

Curso de graduação e pós da UniCesumar forma profissionais aptos a promoverem ambientes e rotinas que atendam às necessidades sensoriais das pessoas autistas, bem como a inclusão social

Dados epidemiológicos revelam que a prevalência do Transtorno do Espectro Autista (TEA) vem aumentando significativamente ao longo dos anos. Os últimos dados divulgados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), agência de Saúde dos Estados Unidos (EUA), apontou que, em 2023, uma em cada 36 crianças foram diagnosticadas com TEA. Para se ter uma ideia do crescimento, em 2004, o número era de um diagnóstico a cada 166 crianças. Em 2012, subiu para um a cada 88 crianças que recebiam o laudo. E em 2020, a prevalência já estava em um para 54. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é de que existam cerca de 70 milhões de pessoas autistas no mundo, sendo 2 milhões delas no Brasil.

Publicidade

Apesar do aumento significativo, a sociedade ainda está aprendendo sobre essa condição e estudando melhores formas de incluir essas crianças no ensino regular, bem como, posteriormente, adultos no mercado de trabalho. Tanto é que no dia 02 de abril é celebrado o Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo, junto com o Abril Azul, no qual atividades são realizadas em todo mundo para chamar atenção ao tema. Atenta à demanda por profissionais que saibam atuar com esse público, desde janeiro deste ano, a UniCesumar está oferecendo o curso superior de Tecnologia em Acompanhamento do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Pós-graduação em TEA. Depois de formado, o profissional poderá oferecer suporte no processo de aprendizagem do autista e no seu convívio, por meio de estratégias que resultam na inclusão social dessas pessoas.

Publicidade

Essa demanda, inclusive, é um direito previsto na lei federal 12.764/12, que institui a Política de Proteção dos Direitos das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista. O texto garante, nos casos de comprovada necessidade, o direito da criança autista e matriculada em escola regular de possuir acompanhamento em sala de aula. “É urgente a necessidade de profissionais capacitados para que essas crianças sejam atendidas com qualidade em suas particularidades. É preciso criar ambientes e rotinas que atendam às necessidades sensoriais e de regulação das pessoas autistas, bem como promover a sensibilização social para redução do estigma associado ao autismo, explorando questões éticas. Nosso curso atende a todos esses quesitos”, diz a coordenadora do curso EAD, Waleria Leonel.

Mudança no diagnóstico

Diferentemente de anos atrás, quando havia classificações e tipos de autismo, a partir do DSM-5, o Autismo passa a ser chamado de Transtorno do Espectro Autista, classificado como um dos Transtorno do Neurodesenvolvimento, caracterizado pelas dificuldades de comunicação e interação social e também os comportamentos restritos e repetitivos. Portanto, o novo DSM-5 trouxe mudanças significativas em todos os critérios usados para realização do diagnóstico de autismo, ampliando a identificação dos sintomas e focando em observações do desenvolvimento da interação social e comunicação das crianças. A classificação está relacionada às necessidades de suporte da criança, que vão de níveis 1, 2 e 3, leve , moderado e severo.

Publicidade

Graduação e Pós-graduação em TEA

A graduação TEA no formato tecnólogo, que tem o período mínimo de duração de quatro semestres (dois anos), receberá matrículas na modalidade de ensino EAD e é direcionado a pessoas que tenham interesse em se aprofundar no tema. Contudo, profissionais da educação podem ter mais interesse na qualificação, já que ao concluir o curso terão um diploma de nível superior que comprova a aptidão no acompanhamento de pessoas diagnosticadas com TEA. Para isso, entre os diversos conteúdos curriculares, há disciplinas de imersão profissional e está previsto o acesso ao laboratório virtual especializado, para que os acadêmicos vivenciem experiências práticas controladas em espaços de acompanhamento escolares e multidisciplinares.

Já a Pós-graduação em Educação Especial: Transtorno do Espectro Autista tem duração de 8 meses e oferece conhecimentos e habilidades específicas para capacitar profissionais a atenderem de forma adequada e inclusiva às necessidades das pessoas com TEA. Com ela, o profissional estará apto para atuar em escolas inclusivas, clínicas especializadas, centros de reabilitação e organizações voltadas para o suporte e inclusão de pessoas com TEA.

Sobre a UniCesumar

Há mais de 30 anos no mercado educacional, e desde 2022 como uma das marcas integradas no grupo Vitru Educação, a UniCesumar possui mais de 600 mil alunos ativos, tanto na modalidade presencial quanto EAD. Atualmente, possui mais de 1,2 mil polos espalhados por todas as regiões do país, além de três polos internacionais, localizados em Dubai (Emirados Árabes), Genebra (Suíça) e Joso (Japão). No ensino presencial, um dos grandes destaques é o curso de Medicina, ofertado no campus de Maringá (PR) e em Corumbá (MS). Além disso, conta com outros quatro campi nas cidades de Curitiba, Londrina, Ponta Grossa e Campo Grande (MS). A instituição está entre os dez maiores grupos educacionais privados do país. Em seu portfólio estão mais de 130 cursos de graduação e 130 de pós-graduação, 71 cursos técnicos e 16 cursos profissionalizantes.

Polo Unicesumar Encruzilhada do Sul-RS – (51) 99177-2343