CISMAS l Sim, nós podemos

0
258

…exposição de telas na Casa 284, pela artista plástica Gisele Sperb, apresentação do Grupo Tholl no novíssimo ginásio de esportes do Centro de Formação Divida Providência, Segunda Edição do Ciclotur de Encruzilhada do Sul…

        Estes são alguns dos mais recentes eventos que Encruzilhada do Sul teve a oportunidade de apreciar e participar.

        “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”.

        Cultura, esporte e turismo, é disso que estamos falando.

        Pois bem, comungo da opinião de que precisamos mais e, cada vez mais destes eventos aqui no nosso município.

        Não me conformo em ver a Região das Hortênsias sempre em franca evolução, sendo que agora até um parque temático vai abrigar (Parque da Mônica), numa demonstração que sua permanente e atuante renovação é constante.

        Goteira de rancho, como se diz.

        Em síntese: eles não param de crescer, sempre e cada vez mais.

        E, quando eu olho para a nossa querida Serra do Sudeste, mais precisamente para Encruzilhada do Sul, eu sinto que tudo isso é possível, tudo isso é factível, tudo isso se coloca a nossa disposição.

        Vejam que clima e serra somos parecidos, temos na gastronomia e vitivinicultura e, agora, na mais recente e premiada olivicultura, nossos baluartes como atrativo turístico, cultural e esportivo, o que mais nos falta?

        Ah, sim, nos faltam acessos asfálticos em ótimas condições, exatamente ao contrário do que lá acontece. 

        Tudo bem, se os responsáveis pelas estradas não dão conta da sua parte, não vai ser por isso que estes segmentos não possam ser impulsionados na nossa região.

        Sei que existem, principalmente por nossos órgãos competentes e associações (leia-se Prefeitura Municipal através de suas secretarias e departamentos, CDL, ACIES e nossas associações como o Jeep Clube e o Pedal Livre), um franco movimento para o desenvolvimento destas três importantes vias de progresso.

        Parabéns, isso é ótimo.

        Todavia, também se faz necessário conclamar a comunidade encruzilhadense para se engajar nesta cruzada e, juntos, ainda sermos uma Região das Encantadas, na acepção mais original da palavra.

        Volto a repetir: temos um grande e inexplorado potencial para tanto.

        Sempre digo e repito que não podemos ignorar a inclinação natural do município de Encruzilhada do Sul para o turismo, além, é claro, de sua pujante agropecuária e fruticultura, donde provém nossa maravilhosa carne de ovelha e já os premiados vinhos e azeites de oliva.

        Estamos com a faca e o queijo na mão, literalmente.

        Rapidamente conto-lhes uma “faceirice” minha: pois agora, no verão, em tempo de uva fresca, doce, dos sucos e demais produtos coloniais, fiquei maravilhado e extremamente faceiro quando via, ali do entroncamento do Dom Marcos até o Trevo do Fiorello, as diversas tendas vendendo os seus produtos e, o que é muito mais importante: inúmeros carros, caminhões, clientes parados adquirindo os produtos de nossos produtores.

        Ah, como me senti feliz!

        Sim, nós podemos.