De araque

0
898

Aposto que você não sabe de onde surgiu a expressão: “De araque”, sabe?

         Eu também não sabia, pesquisei e agora eu sei.

         Não que isso vá engrandecer a sua ou a minha sapiência, mas é mais uma curiosidade que a gente busca saber.

         Tenho esse costume porque eu gosto de saber das coisas.

         “De araque”, é uma expressão que se originou de uma bebida de alto teor alcóolico, de nacionalidade árabe.      

         Sim, é isto mesmo, de uma bebida alcóolica.

Esse dito, por longos anos, foi quase que o sinônimo das mercadorias vendidas no vizinho país do Paraguai, contudo, nada a ver com suas bebidas alcóolicas falsificadas.

Lá no dicionário da língua portuguesa, inclusive, “araque” assim está definida: Aguardente, típica do mundo árabe, obtida pela destilação de diferentes produtos fermentados (arroz, cana-de-açúcar, coco, cevada, uvas, tâmaras).

Vejam que ao acrescentar a preposição que estabelece uma relação de subordinação, “de”, o significado passa a ser totalmente outro.

Mas, vejamos um pequeno texto de Rainer Souza, graduado em História, que retirei do Google e, fiz pequenas adaptações (peço perdão ao autor), para ilustrar o que significa e de onde veio tal expressão.

Eis aí:

“A mentira é algo que permeia o nosso cotidiano de uma forma impressionante. Apesar de ser condenada como pecado e figurar grandes casos de corrupção, a mentira, por menor que seja, acaba sendo quase inevitável. No dia a dia, o hábito acaba tendo tamanha relevância, que pode ser vista nas várias expressões que denunciam a consumação do ato. Entre outros tantos, o termo “de araque” aparece sempre junto a algo que parece ser uma coisa, mas não é.

Para explicar a origem dessa expressão tão cotidiana, temos que ir para os bares da vida. Nos vários botequins e festas, é comum ouvirmos que, sempre quando a bebida alcoólica é ingerida, o seu consumidor acaba deixando escapar algumas verdades escondidas. Esse parece ser o caso de quem bebe o “arak”, uma bebida destilada árabe, e forte, fabricada a partir da seiva da palmeira ou do arroz e dotada de um altíssimo teor alcoólico.

Trazida ao Brasil pelos imigrantes árabes de origem não muçulmana, essa bebida logo foi conhecida pelo seu potencial em causar uma grande sensação de embriaguez. Como todos sabem, o bebum, além de deixar escapar muitas verdades, também gosta muito de contar vantagens (e mentiras, também), quando começa a falar uma série de histórias “de araque”.

E foi dessa forma que, a partir do aportuguesamento do termo “arak”, que a expressão aqui explicada, saiu dos copos dos bares e similares, para incorporar-se à nossa linguagem usual.
Ao verificar a inesperada origem árabe do termo “de araque”, comprovamos a existência do grande mosaico que figura a cultura brasileira. Além de negros, índios e brancos, temos uma outra leva de civilizações que trouxeram consigo hábitos que determinam a construção dos nossos costumes. Sendo assim, temos mais uma lição para os pensadores “de araque” que negam ou criticam a multiplicidade que constrói a identidade do povo brasileiro.”

         Deste modo, todos nós, agora, ficamos sabendo de onde surgiu a expressão “de araque”.

         Ah, sim, quer experimentar o melhor Arak?

Os principais produtores do Arak são a Síria e o Líbano, que disputam o título de “melhor Arak do mundo”. É consumida após as refeições nos países de origem, com exceção das regiões árabes muçulmanas, onde a bebida é proibida.

Se beber, não dirija…contar “histórias” pode!