Março deve fechar com quase 50% de redução nos novos óbitos por Covid-19 registrados no RS

0
273
A Secretaria da Saúde (SES) divulgou durante todo o mês de fevereiro deste ano 1.401 óbitos por covid-19. Em março (até o dia 28) esse número foi de 718, o que representa uma redução de 49%. A queda nesses registros foi possível devido ao avanço da vacinação no Estado. Já são mais de 4,4 milhões de pessoas que receberam o reforço. Essa dose extra já teve o impacto calculado de reduzir as chances de morte pelo coronavírus em até 17 vezes.

Entre os 1,4 mil óbitos divulgados em fevereiro (período de 28 dias) no painel da secretaria (em ti.saude.rs.gov.br/covid19), 1.166 ocorreram durante aquele mesmo mês e 235 (17%) eram de datas anteriores. Em março (no mesmo período de 28 dias), das 718 mortes publicadas, 32% ocorreram em outros meses.

Publicidade

Devido a essa diminuição da curva de dados, neste último domingo (27) não foi divulgado nenhum óbito, o que não acontecia desde abril de 2020 (exceto quando isso aconteceu por causas externas, como manutenção ou instabilidade dos sistemas de notificação). Porém, isso não significa que não tenha acontecido nenhuma morte por coronavírus no último domingo. Nesta terça-feira (29) já foram publicados óbitos ocorridos no domingo, que agora foram notificados pelos hospitais ou vigilâncias municipais, visto que esse processo costuma levar até alguns dias para ocorrer.

Proteção aumentada com a dose de reforço

Há poucas semanas a SES publicou uma nova análise da relação entre a vacinação e as mortes por covid-19. Conforme o cálculo, um idoso com dose de reforço tem 17 vezes menos risco de óbito por coronavírus quando comparado ao indivíduo sem nenhuma dose. Na população dos 40 aos 59 anos, essa proteção representou 14 vezes menos chances de morte para a pessoa com a dose de reforço em relação àquela não vacinada.

Publicidade

Os dados apontam que o risco de óbito é expressivamente superior para os não vacinados, observando-se que quanto mais completo o esquema vacinal, menor a mortalidade registrada. Foram examinadas as informações de 2.168 óbitos por covid-19 com datas de início de sintomas entre 01/01/22 e 12/03/22. Nesse período, a faixa etária acima dos 40 anos representou 97% das mortes ocorridas.

Quase três milhões de pessoas com o reforço atrasado

Os dados apresentados nessa análise chamam a atenção quando comparados com o número de pessoas com a dose de reforço atrasada. São quase três milhões de pessoas no Estado que estão com a dose de reforço em atraso, ou seja, que estão há mais de quatro meses desde a segunda dose ou dose única.

Publicidade

Para auxiliar os municípios nessa busca pelos faltantes, a SES tem uma rotina de envios periódicos das listas dessas pessoas para as secretarias municipais, para que elas possam desenvolver ações de ligar ou visitar essas pessoas.

Dados até esta segunda-feira (28) registram que 77% da população do RS está com o esquema completo e cerca de 4,4 milhões de pessoas já fizeram a dose de reforço, o que representa 39% da população do Estado.

Nova dose para idosos com 80 anos ou mais

Nesta semana foi iniciada a vacinação com uma nova dose para os idosos com 80 anos ou mais. A nova aplicação é recomendada quatro meses após a dose de reforço. Se o idoso está com alguma outra dose em atraso, ele deve primeiro completar o esquema (primário ou reforço), dentro dos prazos referentes à vacina recebida.

Os municípios já estão autorizados a começar a aplicar esse segundo reforço, conforme disponibilidade de doses. Novos repasses estão previstos pela SES, de acordo com recebimentos futuros de lotes distribuídos pelo Ministério da Saúde.

Fonte: Portal Arauto