Por merecimento

0
379

Dois assuntos nesta segunda-feira, aqui no Estado do Rio Grande do Sul, devem tomar conta das manchetes: sem sombra de dúvidas o júri da Boates Kiss e, o iminente rebaixamento do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Quanto ao caso da Boate Kiss, tenho lá as minhas convicções, polêmicas talvez, e que tenho certeza, difere da grande maioria das opiniões que até agora escutei.

 Contudo, está lá o júri posto e, é que tem a soberania das sentenças…é preciso sempre que acreditemos na Justiça.

  Agora, em se tratando de Grêmio, o assunto se torna de fácil trato.

  Comecemos dizendo que somente um milagre, talvez através daquela tal de “imortalidade”, é capaz de fazer com que o Tricolor Gaúcho permaneça na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

  Culpados?

   Muitos.      

   Eu diria que uma sucessão de fatos levou o Grêmio a esta situação.

    A começar pelo treinador Renato Portaluppi e, diga-se de passagem, com a aquiescência do Sr. Presidente, Romildo Bolzan, sendo este quem eu atribuo a maior parte do infortúnio.

    Romildo Bolzan.

    Mas, em se tratando do ex-treinador Renato Portaluppi, nosso maior ídolo, é bem verdade, foi por demais arrogante e tomou em suas mãos todo o controle do departamento de futebol do clube, demitindo funcionários, médicos, fisioterapeutas, contratando ex-jogadores e deu no que deu… um inchaço de profissionais que em nada contribuíram com o Grêmio, além de onerar, assustadoramente, a folha de pagamento.

   Foi demitido, injustamente e por ser na calada da noite (quem conhece a história vai saber do que estou falando), mas foi demitido.

    Novamente o presidente Romildo Bolzan, até então relapso com os desmandos no departamento de futebol, contrata Tiago Nunes, o qual não é aceito nos vestiários pelas “figurinhas carimbadas” que o Renato Portaluppi assentou no Grêmio.

     As derrotas continuaram.

     Veio Felipão, com suas teorias já vencidas (há quem ache que não e eu respeito a opinião de cada um), e, “fechou a casinha”, mas também não resolveu o caso e, também foi demitido.

     E, então, chegamos no Vagner Mancini.

     Percebe-se aí, que houve um aceitamento do técnico pelo vestiário, mas a situação continuou complicadíssima, onde agora dependemos de um grande milagre, ou seja, desses milagres que só acontecem de 100 em 100 anos.

     O vestiário aceitou o técnico, mas novamente o departamento de futebol errou na contratação, pois qualquer gremista, por mais ingênuo que fosse, jamais contrataria um técnico responsável pelo rebaixamento de três ou quatro times que passaram em suas mãos.

     Erro crasso.

     Aqui, salientamos um adendo: foram 4 técnicos que não conseguiram salvar o Grêmio deste iminente rebaixamento e então lhes pergunto: quem são os errados neste contexto, além do Presidente Romildo Bolzan que sempre pensou nas finanças do clube, ao invés de moderar e incluir também nesta sua administração, o futebol?

    Sim, você pensou certo: os jogadores!

    O Grêmio está na zona de rebaixamento desde a segunda rodada do Campeonato Brasileiro, porém a folha de pagamento, que é a quarta mais cara dos times da primeira divisão, sempre esteve em dia, portanto, nunca foi falta de pagamento e, individualmente tem um dos melhores plantéis desta disputa.

     Romildo Bolzan, técnicos, jogadores, tudo foi um somatório de fatos e condutas que colocaram o Grêmio nesta enrascada, mas, é bom que se diga que, neste caso, não existe o céu e o inferno…

     A torcida gremista, ao contrário do que pensam por aí, deve sim valorizar, e bastante, a segunda divisão, principalmente em respeito aos clubes que lá estão, pois não é nenhum inferno e muito menos um desmerecimento, fazer parte da divisão B do Campeonato Brasileiro.

      Está mais do que na hora de respeitar, valorizar, enaltecer o trabalho daqueles profissionais que ali exercem suas profissões, pois não há descrédito nenhum, ao contrário, há que se pensar em engrandecer esta parcela do futebol brasileiro, afinal de contas, são operários como qualquer outro.

     Ninguém é melhor do que ninguém.

O insucesso é apenas uma oportunidade para recomeçar com mais inteligência.

Henry Ford

 P.S.- …enquanto há bambu, há flechas…