CISMAS l Yakecan e as instituições

0
236

        Yakecan em tupi-guarani quer dizer, “som do céu”.

        A nomenclatura foi oficialmente estabelecida por meio do Aviso Especial nº 356/2022, da Marinha do Brasil e, é uma tempestade subtropical que ainda está atingindo o sul do país, mais precisamente na costa leste/nordeste do Rio Grande do Sul.

        Antes, “a” (artigo definido feminino por ser uma tempestade) Yakecan já havia atingido as costas da Argentina e do Uruguai, na segunda-feira.

Após alcançar o continente, o fenômeno teve sua classificação alterada de ciclone para tempestade, o que significa ventos mais violentos e maior potencial destrutivo.

Graças ao Bom Deus e, com toda a certeza a nossa Santa Bárbara, sua agressividade foi bem menos de tudo aquilo que esperavam e, de tudo aquilo que foi dito.

Exatamente aqui, “naquilo que foi dito e foi previsto”, vai nossos efusivos parabéns, pois temos o hábito de criticar quando as instituições não funcionam e, neste caso, foram extremamente competentes.

– Ah, mas não aconteceu nada! – dirão a grande maioria.

– Graças a Deus!

        Ou queriam que agora estivéssemos lamentando inundações, casas destelhadas, árvores e postes pelo chão e, possivelmente vítimas fatais?

        Notem bem: o que é feito é “previsão”.

        Portanto, ninguém está afirmando que vai acontecer, apenas e tão somente e, diante de cartas e mapas meteorológicos enviados por satélites, as autoridades no tema fazem as suas “previsões”.

        PREVISÕES!

        Pois bem, voltando ao tema e ao âmago daquilo que quero salientar, volto a dizer que nossas instituições estão de parabéns, pois deram o seu recado de maneira sóbria, competente, responsável e antecipada, como devem ser tratados os fenômenos desta natureza.

        Foi um verdadeiro espetáculo de sapiência junto as providências tomadas pelas autoridades públicas, que, estão neste rol de competência e premeditação.

        Tomemos por base a nossa Encruzilhada do Sul e, falo daquilo que vi e li nas redes sociais: uma prefeitura engajada em antecipar os fatos, reunindo suas equipes em conjunto com o nosso Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, para que a população, caso fosse atingida, pudesse ser assistida o mais rápido possível.

        De minha parte senti firmeza nestas atitudes e, ficou claro que tudo aquilo que é alertado com conhecimento e competência, permite que os órgãos públicos possam se organizar e, estarem prontos para qualquer ocorrência.

        Falo assim porque muitos descrentes invadiram as redes para falar mal de nossas instituições, alegando que “falaram demais” e não aconteceu nada.

        Repito: Graças a Deus!

        E mais, se as instituições não funcionam reclamam…se funcionam, reclamam também…vai entender…

        Verdadeiramente é impossível agradar gregos e troianos.

        Mas, de minha parte fica aqui o reconhecimento e minhas felicitações pelo belo desempenho de todas estas equipes envolvidas, desde a Defesa Civil, estações meteorológicas e seus meteorologistas, Corpo de Bombeiros e Prefeitura, que de uma maneira abalizada e oportuna, apropriaram-se de seus devidos lugares com maestria e responsabilidade.

        Parabéns a todos os envolvidos!